18 de abril de 2010

O que é liderança?


Muito tem se falado sobre o tema liderança, tanto em empresas quanto em igrejas. Penso que nas empresas a preocupação com relação ao tema se deve principalmente ao fato de que a produtividade, elemento essencial no gerenciamento pós-moderno, está sendo buscada como nunca.
Já nas igrejas penso que a motivação dessa preocupação com esse tema seja que alguns estão caindo na real de que muito se faz (ativismo), mas pouco se alcança (propósito). Por um bom tempo a Igreja cristã manteve-se focada na manutenção das atividades, e esqueceu que pessoas estavam envolvidas nessas atividades, e que outras pessoas precisavam ser alcançadas para além dos tijolos.
A resposta à pergunta: “o que é liderança” não é simples. Em uma sociedade pragmática como a nossa, onde pouco se busca conceitos e fundamentos, parte-se em busca de fórmulas do tipo “o que fazer para ser um líder?”, “como fazer para o bom desempenho da liderança?”... x+y = sucesso na liderança.
Não tenho a pretensão de desenvolver raciocínios pragmáticos neste texto. Por isso exponho aqui princípios que, para mim, são fundamentais. Fundamentais porque são bíblicos, e se sou cristão penso que são suficientes para direcionar um líder. No exercício da liderança, em várias oportunidades, em diferentes ambientes, com pessoas também muito diferentes, entendi que não dava para liderar sem ter princípio, base. Há duas maneiras de se aprender a liderar, a primeira é quebrando a cabeça sozinho, o que já fiz muito e aprendi pouco, e a outra é ouvindo o que me ensinavam a partir da Bíblia, o que me ensinou muito mais... muito mesmo.
O pensamento que temos acerca da liderança é que acaba determinando nossas ações como líder, por isso é importante refletir sobre o que pensamos a esse respeito. Ação sem fundamento é mero ativismo, e fundamento sem ação é puro devaneio.
James Hunter, em seu livro “Liderança Servidora”, escreve a respeito da dificuldade das pessoas em tornar práticos os conceitos que ouvem. Esse é o primeiro desafio para um líder que quer melhorar sua liderança. Não basta ouvir palestras, ler livros e apostilas, e pensar que dessa maneira sua ação será diferente. Descobri que é preciso ir além, para haver renovação de atitudes, é preciso haver mudança de mente (metanóia). Se você encontra certa dificuldade para liderar, percebe que não está chegando a lugar algum com sua equipe e não tem boas respostas de seus liderados, não basta ter boa vontade em buscar princípios, é preciso aplicá-los em seu dia a dia. Óbvio? Sim, é óbvio, porém de difícil execução. O desafio é que você avalie cada um de seus princípios, e a partir disso, procure dar passos práticos. É como decidir fazer um regime. Não basta dizer: “segunda-feira eu começo”. É preciso entender o porque você fará o regime, mudar seus conceitos com relação a alimentação – o que significa mudança de mente – e então deixar que os novos conceitos norteiem seus sentimentos e ações. E vale lembrar que, às vezes, apenas a força de vontade não adianta, você precisa da ajuda de alguém.
De maneira geral, ainda penso que liderança significa conduzir pessoas de forma a alcançar objetivos. Simples? Não. Isso porque, liderar é diferente de gerenciar. Gerenciar é checar se as tarefas estão sendo executadas, liderar é checar se as pessoas estão caminhando para o objetivo correto, e nesse caminho as tarefas são parte do processo. Muda o foco, das tarefas, para as pessoas. Isso é básico. Normalmente os bons gerentes são centralizadores e autoritários. Enquanto que os bons líderes são descentralizadores e habilidosos em arrebanhar.
Saindo do foco geral, abordarei alguns tipos de liderança que são praticados, baseando-me nos tipos de organizações apresentadas por Max Weber (1987):
Liderança Patriarcal - Liderança baseada na tradição. A legitimação desse tipo de líder acontece pelos hábitos, tradições, costumes. O líder patriarcal (ou tradicional) herda de família, a função lhe é delegada. Então esse líder lidera porque chegou primeiro, ou porque é o pai, ou porque é o ancião. Normalmente esse tipo de líder é bem punitivo, pouco aberto a sugestões, sua palavra é a única, porque ele é quem sabe tudo. Esse tipo de líder manda, ao invés de delegar. Quer que suas ordens sejam cumpridas.
Liderança Carismática – liderança baseada no carisma. A legitimação desse tipo de liderança acontece pelo fato desse líder ter características pessoais evidentes, e que encantam as pessoas. Ele é simpático, tem boa fama, é popular, é persuasivo. Ele lidera porque conquista as pessoas. O problema é que ninguém é perfeito, e quando esse líder morre ou erra moralmente, desestrutura toda a equipe, não existe continuidade no processo. Normalmente esse líder se importa muito em fazer a vontade das pessoas, em não desagradar os liderados.
Liderança racional – liderança baseada no conhecimento. É legitimada por regras, leis e normas. Uma característica é a burocracia. Esse tipo de liderança é exercido por pessoas que têm um curso superior, uma especialização, ou seja, porque ela tem um título, a liderança acontece. Às vezes um Dr. ou um Ms. ou qualquer outro título, é usado para que os subordinados rendam-se às ordens. Um curso superior, um doutorado ou um mestrado não torna ninguém um semi-deus, ou detentor de todo o conhecimento da galáxia.
Expus esses três tipos de liderança, no entanto, acredito que, para o cristianismo, nenhum deles seja realmente ideal para conduzir pessoas em direção aos objetivos.
Acredito em um quarto tipo de liderança, a liderança espiritual, da qual Weber não faz menção talvez por desconhecer ou por não servir aos objetivos de sua obra. Esse tipo de liderança não é legitimado pela tradição, pelo carisma ou pela razão. É a liderança que é capacitada e legitimada pelo próprio Deus. Podemos ser tentados a nos basearmos em um dos três tipos anteriores de liderança, porque podem ser mais fáceis de serem legitimados, no entanto encerram-se na mediocridade e na capacidade do ser humano. E até onde o ser humano pode ir sozinho? A lugar algum. Todos os outros tipos de liderança podem ser encarados como habilidades, a liderança espiritual não, é algo que Deus atribui.
A liderança espiritual é aquela que a Bíblia traz em vários exemplos. Pensemos em Abraão, chamado a ser o pai de uma grande nação, cheio de defeitos (pecados), mas que no fim das contas, por sua submissão a Deus, se tornou líder. Moisés tinha a missão de tirar pessoas da escravidão e levá-las até à terra prometida. Ele não tinha facilidade para falar, tinha assassinado uma pessoa, no entanto se rendeu ao mandado de Deus, obedeceu e liderou. E Outros tantos como Neemias, Davi, Pedro, Paulo... que não tinham vidas perfeitas, qualidades suficientes, cursos superiores, carisma, etc, mas que simplesmente se dispuseram a cumprir o chamado de Deus para determinada missão, sempre com o foco de conduzir pessoas a atingir objetivos planejados por Deus.
Este tipo de liderança não é aprendido em cursos on-line, palestras, congressos, conferências, vídeos, livros, apesar de serem recursos para aprimoramento do que já está em uso. Também não é um tipo de liderança que conquistada em uma assembléia administrativa, através de uma indicação. Deus seleciona, mostra o objetivo, revela a visão, dá a direção, prepara e vai acompanhando o desenvolvimento. O processo é muitas vezes desconfortável, a exemplo dos quatro patriarcas de Gênesis (Abraão, Isaque, Jacó e José), mas com certeza Deus escolhe usar pessoas que se dispõem. Deus é soberano em suas escolhas.
É interessante perceber que esse tipo de liderança tem tudo a ver com o exemplo de Jesus, o exemplo de servo. Já parou para pensar como está impregnado em nossa cultura o fato de que se fomos chamados para ser líderes, precisamos virar carrascos que MANDAM? No entanto o próprio Jesus deu exemplo, deixando escrito que ele veio cumprir sua missão de líder, servindo, não sendo servido. O conceito Liderança Servidora, apresentado por James Hunter, nada mais é do que a redescoberta do exemplo de Jesus (algo que não é recente) detalhado na Bíblia, que apresenta as maiores e melhores estratégias de liderança, administração e marketing, através do maior exemplo de líder do mundo.
Bem, acho complicado alguém ser um líder servidor, segundo o exemplo de Jesus, se não tiver um relacionamento com Ele, e se não for um discípulo autêntico desse Mestre. Mesmo que muitos executivos hoje busquem viver a liderança servidora, é difícil viver o serviço, se o estilo de vida não é aquele moldado ao caráter de Cristo. No fim das contas o lucro, os resultados, o salário, o cargo, falarão mais alto. E o último degrau da liderança, ao contrário do que muitos pensam, não é o mais alto, mas o mais baixo. A própria Bíblia diz: "Os reis das nações dominam sobre elas; e os que exercem autoridade sobre elas são chamados benfeitores. Mas, vocês não serão assim. Pelo contrário, o maior entre vocês deverá ser como o mais jovem e aquele que governa como o que serve.” Lc 22:25-26
Você quer que sua equipe sirva? Quer que eles atendam de forma satisfatória aos seus liderados? Quer que eles executem as tarefas da melhor maneira possível? É preciso começar em você. Você deve servi-los primeiro. Enquanto o mundo pós-moderno prega que você tem que preocupar-se consigo mesmo, deve voltar-se para dentro de si mesmo, deve importar-se com as suas coisas primeiro, deve resolver seus problemas primeiro, a Bíblia instrui a servir, a considerar o outro primeiro, a se importar com o outro. O que confirma o pensamento de Warren Bennis: liderança é caráter em ação. Alguns aspectos devem ser considerados na liderança. São eles:
Liderança é saber aonde se quer chegar
Para saber aonde se quer chegar, é importante saber aonde Deus quer que você chegue. Visão sem Deus é visão míope, desfocada. Visão com Deus é visão certeira, ampla, além das montanhas, visão de águia. Você pode escolher entre olhar com seus olhos ou olhar com os olhos de Deus. A perspectiva do segundo olhar é outra. Saber o que Deus quer fazer através de sua vida economiza esforços e dor de cabeça. Você não precisará ficar testando vários rumos, várias direções. É um foco só e pronto. Muitas pessoas começam em um ministério (serviço, numa missão) e o que fazem é inventar um monte de tarefas para ocupar as pessoas envolvidas, ao invés de consultar a Deus primeiro. Paulo disse à igreja de Corinto sobre a importância de se ter um alvo: “(...) não corro como quem corre sem alvo e não luto como quem esmurra o ar.” 1 Co 9:26. Você tem dúvidas de que Paulo tinha certeza de seu alvo? Com certeza tudo o que ele fez, inclusive o seu sofrimento, foi importante para chegar a visão almejada, ele sabia aonde queria chegar. Quer um sábio conselho? “Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros.” Pv. 4.25-26
Quiz 1: Sobre a sua visão (MARQUE UMA DAS OPÇÕES)
a. Tenho clareza do alvo que Deus quer que eu atinja.
b. Não enxergo um palmo à frente do meu nariz.
Liderança é Comunicar a visão
De posse da visão que Deus lhe deu, você deve compartilhá-la. Ninguém vai querer acompanhá-lo se você estiver confuso sobre seu alvo, ou se não compartilhar sua visão com estas pessoas. Sabe porque muitas vezes as pessoas não compram nossas idéias? Porque por muitas vezes esquecemos de comunicá-las. Não queira que as pessoas adivinhem seus pensamentos, compartilhe.
Em 1 Cr. 28, Davi compartilha uma visão em Jerusalém, com todos os líderes de Israel. Deus deu uma visão a Davi a respeito da construção do Templo, e ele queria se envolver nisso, mas Deus disse que essa missão ficaria a cargo de seu filho Salomão. Primeiro Davi deixou claro que a visão vinha de Deus (v. 1-3). Em segundo lugar informou a Salomão sobre sua função, que seria a de conduzir a construção do templo (v. 6,7). Em terceiro lugar disse ao povo que tal tarefa, tão grande, seria concluída porque Deus capacitaria Salomão para isso (v. 6). Em quarto lugar Davi expôs detalhes a Salomão sobre o templo, para que ele visualizasse o edifício concluído (v. 11-19). E finalmente ele, após descrever a visão, encorajou novamente o filho.
Contagiar liderados com sua visão é uma das tarefas mais significativas de um líder, e é um aspecto fundamental para o sucesso em uma missão. Se você morre por uma visão, que Deus lhe deu, não duvide, pessoas se juntarão a você. Agora não espere que pessoas morram por uma visão para a qual você não dá a mínima importância. E a importância das coisas pode ser medida pelo tempo em que estamos dispostos a investir nelas (Rick Warren).
Quiz 2: Sobre a sua comunicação de visão
a. Todos os meus liderados sabem para onde estamos indo.
b. É um grande segredo a visão do meu ministério, não compartilho com ninguém, nem comigo mesmo.
Liderança é Planejar
Muitos líderes contam com o acaso para liderar. Já viu aquele líder que na última hora de um evento, começa a disparar tarefas para os seus liderados? Desorganização, despreparo e falta de planejamento também são pecado. Dawson Trotman, citado por Rick Warren em seu livro “Uma Vida com Propósitos”, diz que “Os pensamentos se desembaraçam quando passam pelos nossos dedos”. Fazer um cronograma e um check list são coisas essenciais para qualquer líder. Primeiro porque você não conseguirá lembrar de tudo o que precisa ser feito, e segundo porque fica mais fácil dividir coisas por ordem de importância e prioridades. Não dá para fazer tudo ao mesmo tempo, pelo menos um ser humano normal não consegue, então fica mais fácil quando as tarefas a serem executadas são divididas em determinado período de tempo. O planejamento de Deus é grandioso, é claro, e vai além do nosso entendimento. Ele tem um plano para cada coisa, desde a criação, até a salvação, ele planejou tudo. Isto fica claro quando Marcos relata no primeiro capítulo de seu livro, a profecia de Isaías sobre João Batista, algo que se cumpria naquele momento, que já estava no planejamento estratégico de Deus há muito tempo.
Quiz 3: Sobre o seu planejamento
a. Eu prefiro deixar para a última hora, é mais emocionante. Acho que esse negócio de planejar tira um pouco da espontaneidade das coisas. O improviso é mais legal.
b. Encaro as tarefas a serem realizadas como grandes responsabilidades, que devem ser executadas com muita seriedade. Deus planejou o mundo, planejou o ser humano, planejou a vinda de Cristo ao mundo, por isso eu devo seguir o seu exemplo.
Liderança é Conduzir as pessoas
Conduzir é importante, forçar é uma ignorância. Cada pessoa tem a opção de seguir ou não você. James Hunter, em seu livro “O monge e o executivo” traz a diferença entre poder e autoridade. Poder “é a faculdade de forçar ou coagir alguém a fazer sua vontade, por causa de sua posição ou força, mesmo que a pessoa não preferisse o fazer”. Já a autoridade é “a habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que você quer por causa de sua influência pessoal”. É muito melhor optar por utilizar autoridade, ao invés do poder. Melhor ainda é ter autoridade espiritual, que é a habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que Deus quer, por causa da direção de Deus, através da vida do líder. Não somente é importante que as pessoas cheguem até o alvo, mas importa também como as pessoas chegam até ao alvo. Neemias dá um grande exemplo de serviço, e de liderança. Na reconstrução do muro em Jerusalém, cidade destruída pelos inimigos, Neemias diz: Eu mesmo me dediquei ao trabalho neste muro (Neemias 5.16). E a resposta de seus liderados vem cinqüenta e dois dias depois, com a conclusão da reconstrução do muro, deixando os inimigos de Jerusalém atemorizados.
Outra marca de condução de pessoas é deixada por Jesus quando ele chama seus discípulos e diz: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens” (Marcos 1.17). E o que aconteceu? Eles imediatamente deixaram suas redes e o seguiram. Não precisou de ameaças, não precisou de promessas de grandes milagres, retorno financeiro, etc. Ele não só os chamou como disse o porquê, e também que estaria por perto para ajudá-los na tarefa, “eu os farei”.
Um grande engano cometido por alguns líderes é pensar que podem mandar os liderados irem na frente, enquanto eles mesmos ficam atrás gritando, empurrando, ameaçando, implorando para que seus liderados sigam para o alvo. Isso é medo de assumir a responsabilidade de mostrar a direção. Não espere que as pessoas façam aquilo que é responsabilidade sua fazer: mostre o caminho, vá à frente.
Quiz 4: Sobre a sua condução
a. Eu conduzo as pessoas em direção ao alvo, com paciência, porque algumas pessoas têm mais dificuldades que as outras.
b. Prefiro empurrar as pessoas. Tem gente lerda que empurrar não é o suficiente, é preciso sair arrastando.
Liderança é Delegar e monitorar
Delegar é a arte de distribuir as tarefas, as quais você não dará conta de fazer sozinho. Muitos líderes não conseguem delegar, porque confiam muito em si, e pouco no outro. Isso é vaidade, achar que se não for do seu jeito, não será feito ou bem feito. Abra mão da sua vaidade e soberba e aprenda a confiar em pessoas, defeituosas como você, às vezes com mais dificuldades, mas que poderão ser ensinadas através do seu exemplo. Acredite, você será surpreendido se resolver confiar nas pessoas.
É engano pensar que só delegar é o suficiente, é preciso monitorar. Jogar as tarefas nas mãos das pessoas é desleixo, você precisa se interessar pelo que o outro está fazendo e monitorar o desenvolvimento. Não simplesmente para checar se o que você pediu para fazer foi feito, mas para checar se há dificuldades por parte do liderado na execução, se ele não perdeu a visão, e principalmente para aproveitar as dificuldades para o ensino.
Paulo deu instruções a Timóteo, que estava em Éfeso, e em suas duas cartas dá pistas de que Timóteo deveria dar atenção a determinados ensinos, conselhos e recomendações que não estavam sendo realizadas de maneira efetiva. Paulo enxergou determinados problemas e orientou Timóteo a resolvê-los. Porque Paulo estava longe, ele poderia muito bem ter deixado Timóteo se virar, e mesmo tendo conhecimento dos problemas, poderia ter ignorado. Mas ele, como líder daquele jovem pastor, não foi negligente.
Quiz 5: Sobre a sua delegação
a. Eu delego e monitoro. Divido as tarefas e depois passo conferindo se as pessoas precisam de ajuda, se está dando tudo certo, etc.
b. Eu faço tudo sozinho, todos são incompetentes, só eu sei fazer as coisas. É preferível fazer, do que deixar de ser feito.
c. Eu delego, mas depois eu esqueço de monitorar. O importante é dividir as tarefas, se alguém deixar de fazer não tem problema.
Liderança é Multiplicar e mentorear
O fruto de uma liderança não é uma tarefa concluída, e sim um novo líder em ação. É necessário identificar e formar novos líderes. Não adianta você subir uma pessoa de cargo, ela precisa ser mentoreada, discipulada. E novamente digo, liderança espiritual será identificada em pessoas que possuem relacionamento com Deus. Deus apontará o dedo, e você precisa estar atento para identificar. É preciso haver prestação de contas, ensino, discipulado. Você não pode jogar a pessoa na terra da liderança como se fosse uma semente, e ficar de braços cruzados esperando que ela cresça e dê frutos.
Paulo percebeu em Timóteo alguém que mesmo sendo tão jovem, poderia ser um líder. Paulo não só identificou um líder, mas o acompanhou em seu desenvolvimento, e o orientou no papel de liderança, como seu mentor.
Quiz 6: Sobre a sua multiplicação e mentoreamento
a. Eu multipliquei, mas é difícil mentorear... Deixo a pessoa se virar para que ela possa melhorar a liderança dela.
b. Eu multipliquei e acompanho os novos líderes, investindo tempo, interessando-me pelas dificuldades deles, mostrando o caminho, exortando, aproveitando os problemas para ensinar.
c. O que me importa é fazer minha parte, o resto que se lixe.
Liderança é Permanecer
Muitos preocupam-se com seu trabalho (egoísmo) e querem logo chegar ao fim, seja o fim na próxima eleição de líderes, sejam as férias de final de ano. Acontece que o funcionamento de um ministério não pode ser determinado por eleições, comissões de indicações, férias de igreja, etc. Já pensou se Jesus esperasse por uma votação dos anjos pra decidir sua vinda ao mundo, e se quando o ano acabasse ele pedisse para sair do ministério porque estava cansado, precisava dar um tempo? Ele não teria morrido na cruz. Você conhece algum líder em toda a Bíblia que foi votado para cumprir uma missão que Deus deu? Você conhece algum que parou no meio da caminhada e disse, agora chega, coloca outro no meu lugar? Não, pelo menos na Bíblia não tem nenhum. Você já parou para pensar que um grande problema num governo, numa igreja, ou numa empresa, pode ser a descontinuidade de liderança? Por exemplo, o que acontece com uma igreja que vive mudando de pastores? Essa igreja com certeza é meio esquizofrênica, e seus membros estão confusos a respeito de para onde eles devem ir. Um pastor entra e puxa o povo para a esquerda, depois entra o segundo, e vai para a direita, depois entra o terceiro e vai para trás.... onde vai parar esta igreja? Em lugar algum. Vai causar uma tonteira em todo mundo, e até pode dar a impressão de que estão indo a algum lugar, no entanto estarão dando voltas sem fim em torno de seus próprios umbigos. Se você foi convocado por pessoas a estar a frente de algum ministério, talvez não esteja certo de que isso é o que realmente deva fazer. Quando estamos num lugar que não gostaríamos de estar, mas que fomos levados a força para lá, nos cansamos com facilidade, a fadiga e o desconforto logo vem. Dá vontade de jogar tudo pro alto. Não caia no engano de que tudo que vier a mão é pra fazer, porque senão Deus estaria condenando todos os cristãos a um ativismo desenfreado.
Quando somos chamados por Deus para exercer alguma função, nos sentimos plenos, e não é qualquer coisa que nos abala. Se foi Deus quem o chamou, a missão não vai acontecer do dia para a noite, ela vai ter começo, meio e fim, e talvez o fim seja somente quando você for levado para o céu, mas daí Deus preparará outra pessoa para continuar o que você começou, com a sua participação é claro.
Não brinque com a expectativa das pessoas, isso machuca bastante o coração. Talvez você pense, vou liderar este ministério porque não tem ninguém para fazê-lo. Engana-se ao pensar que ajudará, vai mesmo é atrapalhar, e muito. Atenção, os planos perfeitos são de Deus, não tem como você dar jeitinho, o negócio é entender a sua parte dentro desse plano enorme, e cumprir. Pessoas certas, nos lugares certos, pelas motivações certas. Não adianta querer tapar buraco que não é seu, pois não irá contribuir com nada. Siga o exemplo de Jesus, ao ponto de falar o que ele falou: “Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.” (Jo 17.4). Paulo seguiu esse exemplo e disse: “Não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus.” (At 20.24).
Quiz 7: Sobre a sua permanência
a. Eu tenho muita alegria no meu coração em ser usado por Deus no ministério que estou, e quero sair daqui somente quando Deus quiser me tirar.
b. Prefiro mudar de ministério todo ano, daí a gente se diverte mais, e não estressa. Deus me livre de ficar o resto da vida num ministério só.. quero alcançar ministérios mais importantes.
Liderança é Servir com excelência
Considero excelência como o alvo das ações de uma equipe, na execução de determinada atividade. Excelência é diferente de perfeccionismo. O excelente é o ponto mais alto de qualidade que se possa chegar no desempenho de alguma função, o perfeito é impossível de ser alcançado. O excelente é o desafiador, o perfeito é utópico. O excelente é alvo possível de ser alcançado, o perfeito é massacrante.
E como um serviço deve ser executado? Deve ser realizado como se fosse para Deus. E Deus não aceita rebarba, “está bom desse jeito”, “mais ou menos”, “de qualquer jeito” e muito menos o “de última hora”. Tem que ser o excelente. Não o perfeito, o excelente.
Quiz 8: Sobre a sua excelência
a. Procuro fazer o melhor sempre, pois Deus é adorado com minha aplicação.
b. Somente quando dá eu faço o melhor, mas como não tenho muito tempo, faço as coisas dentro do tempo que tenho, que é muito pouco, tenho muitas atividades e Deus sabe disso. Prefiro fazer um monte de coisas ao mesmo tempo, do que abrir mão de algumas para gastar mais tempo com prioridades.
Liderança é Avaliar
É importante auto-avaliar-se sempre. O que Deus está achando do seu ministério? O que Deus está achando de sua liderança? Não engane-se, é preciso ver o que está errado, para consertar. Se você tem o Espírito Santo guiando sua vida, com certeza ele irá direcioná-lo nestas mudanças. Antes de seu crescimento como líder, vem o seu crescimento como cristão. Não espere que sua liderança vá bem se você não se relaciona bem com Deus, diariamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Peça a ele que sonde o seu coração.
Se você não compartilha com Deus suas dificuldades, suas vitórias e não houve sua voz, através da Bíblia, não espere que as coisas dêem certo, porque não darão.
Outro aspecto muito importante e muito valioso é ter pessoas que o auxiliem nesta auto-avaliação. Pessoas sábias, que sejam mais maduras que você. Jetro fez isso por Moisés, aconselhando a Moisés sobre como poderia otimizar os processos em sua liderança, o que foi bem aceito por Moisés (Êxodo 18). Deus usa outras pessoas que têm relacionamento com Ele para enxergar coisas que talvez você não esteja enxergando.
Como disse no início deste, só boa vontade não é o suficiente, você precisa da ajuda de alguém, e esse alguém é Deus – perfeito especialista para assuntos sobre liderança.
Quiz 9: Sobre a sua avaliação
a. Eu faço constantemente, porque dependo da aprovação de Deus e direção Dele para minhas ações.
b. Acho que é uma coisa irrelevante. Eu faço tudo sob a aprovação das pessoas, se elas estiverem gostando, ta ótimo, afinal de contas eu sou um bom líder.
Ser chamado por Deus a liderar não é uma tarefa fácil, dá frio na barriga, é muita responsabilidade. E isso é muito positivo, porque desta forma você não confiará em si mesmo, mas em Deus. Sinta o prazer de conduzir pessoas para os alvos de Deus, vale a pena.
Sugestões de leitura
DVD The Global Leadership Summit 2006 – Willow Creek Association
Liderança Corajosa, Bill Hybels – Editora Vida
Livro de Neemias – Bíblia
O Último Degrau da Liderança - C. Gene Wilkes – Editora Mundo Cristão
Um Ministério com Propósitos - para líderes de Jovens, Doug Fields – Editora Vida
Uma Igreja com Propósitos, Rick Warren – Editora Vida
Uma Vida com Propósitos, Rick Warren – Editora Vida
Sugestões de Arquivos Digitais
Maná de Segunda - http://cbmc.org.br/mana.htm
EQUIP – www.iequip.org
Referências Bibliográficas
Apostilas de Liderança – Escola de Líderes para ministério com juventude - JUBAM
O Monge e o Executivo – Uma História Sobre a Essência da Liderança, James C. Hunter
“Os tipos de dominação", Capítulo III, In: WEBER, Max Economia e Sociedade,
Vol.I, Brasília: Edunb, 1991:139-167 – Max Weber
Autor
Leandro Ambrosio
Líder de ministério de Comunicação
IB do Coração – Belo Horizonte/MG
Bacharel em Produção Editorial – Comunicação Social – UNI-BH
Ex- Diretor Executivo da Juventude Batista Mineira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.
João 4:14

E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.
Apocalipse 22:17
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

***

whos.amung.us