29 de janeiro de 2011

O PESCADOR E O ANEL





Era uma vez um velho pescador que vivia cantando:
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Mesmo quando a sua pesca não era boa, ele cantava com muita fé e alegria a sua cantiga
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Um dia, o rei daquele lugar soube da existência do pescador e quis que ele fosse à sua presença, por não admitir que Deus podia mais que tudo no mundo...
Esse rei era tão poderoso e orgulhoso, que achava que podia até mais que o próprio Deus!
E lá foi o pescador, subindo as escadas de tapetes vermelhos do palácio, cantando
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Diante do rei o pescador não mostrou medo algum, e ainda reafirmou a sua fé, cantando a  mesma cantiga:
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Então o rei disse: Vamos ver se Deus pode mais que eu, pescador! Eis o meu anel. Vou entrega-lo aos seus cuidados! Se dentro de 15 dias você devolver esse anel, intacto, você ganhará um enorme tesouro, e não precisará mais trabalhar para viver. Porém, se nos 15° dia você não voltar com o anel, mando cortar sua cabeça! Agora vá embora...
O pescador foi embora e quando chegou em casa entregou o anel a sua mulher que prometeu guarda-lo a sete chaves.
Deixe que isso não passava de um plano do rei, que logo mandou um criado disfarçado de mercador, bater na casa do pescador, quando este já havia saído para pescar.
Criado disfarçado: Ô de casa!
A velha senhora abriu a porta
Criado: Minha senhora, sou mercador. Vendo e compro anéis. A senhora não teria ai pelas gavetas um anelzinho para me vender? Pago bem!
E mostrou muito dinheiro.
Velha: Não tenho senhor não. Aqui em casa é muito pobre. Não tem anel nenhum.
Mas a velha ficou surpresa com tanto dinheiro que o homem mostrava. Acabou caindo na tentação e vendeu o anel!
Quando o pescador voltou cantando:
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
...Soube o que havia acontecido e ficou desesperado.
Pescador: Mulher! Você não vendeu o anel vendeu minha cabeça!
E foram correndo procurar o mercador pela floresta, pela estrada, pela praia, pela aldeia e nada...
Claro! A essa altura o criado disfarçado de mercador já estava longe,e havia jogado o anel no mar, a mando do rei, para que nunca mais ninguém pudesse encontra-lo.
O tempo foi passando...
Décimo dia...
O pescador triste continuava cantando:
Canto (canto lento): Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Décimo primeiro dia...
E o pescador cantava e pescava...
Canto (ainda mais lento): Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
Até que no penúltimo dia, o pescador chamou a mulher e disse:
Pescador: Mulher, eu vou morrer...
Amanhã, minha cabeça vai rolar. Vamos despedir, com uma ultima refeição. Farei uma boa pescaria.
E lá foi o pescador, tristemente, cantando sem para sua cantiga.
Pescou 50 peixes, 49 ele vendeu no mercado, e 1 levou para  a mulher preparar. Ela caprichou no tempero e fez no fogão de lenha, aquele peixe que seria a ultima ceia junto com o marido depois de tantos anos.
Mastiga dali, chora daqui, pensa de lá, e de repente...
Pescador: (engasgando) O que é isso? Mulher! (cospe o anel) eu não disse que Deus pode mais que todo mundo?
Canto (bem animado)
Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.
O pescador limpou o anel e correu em direção ao palácio. Subiu as escadas de tapete vermelho cantando, fez uma reverência para o rei, que perguntou todo poderoso...
Rei: e então pescador? Aonde está o meu anel?
E o pescador vitorioso:
Pescador: Está aqui, meu rei!
O rei ficou boquiaberto! Não conseguia acreditar... teve de entregar o tesouro para o pescador. E até o rei teve que cantar:
Canto: Viva Deus e ninguém mais
            Quando Deus não quer
             Ninguém nada faz.

Um comentário:

  1. Linda e profunda ilustração em forma de parabola.
    www.vivendoteologia.blogspot.com

    ResponderExcluir

aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.
João 4:14

E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.
Apocalipse 22:17
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

whos.amung.us