Porque os Cristãos Evangélicos hoje estão cada vez mais descredibilizados?

A IGREJA HOJE ESTÁ:

5 de fevereiro de 2014

A ORIGEM DE CHEFIA


Há outro aspecto da família que encontramos também como uma reflexão da
divindade. É um conceito que iremos chamar de “chefia”. Vejamos o que Paulo diz em 1
Coríntios 11:3: “Quero, porém, que saibais que Cristo é o cabeça de todo homem, o homem
(ou marido) o cabeça da mulher (ou esposa), e Deus o cabeça de Cristo.”
Temos o seguinte relacionamento, então: Deus é o cabeça de Cristo, Cristo é o
cabeça do homem, e o homem é o cabeça da mulher. Outra vez temos um relacionamento
eterno. A chefia do Pai sobre o Filho é eterna. Antes da criação do mundo, Deus era Pai, e
também cabeça, de Cristo.
A partir deste ponto nós temos uma cadeia descendente de autoridade, que vai desde
a eternidade até o tempo. Deus Pai é cabeça de Cristo eternamente. Cristo é cabeça do
homem ou marido (é a mesma palavra no grego), e o homem é cabeça da mulher ou
esposa.
Outra vez temos um relacionamento no lar entre marido e esposa cuja importância
transcende os limites de tempo e espaço. É uma projeção dentro da família de um
relacionamento eterno. Deus eternamente é cabeça de Cristo, assim como o homem é
cabeça da mulher.
Com este modelo da divindade, podemos aprender muito sobre o padrão de
autoridade. Cada um de nós só tem autoridade no plano de Deus quando estiver no seu
devido lugar numa cadeia de autoridade. Qualquer cadeia de autoridade no universo
ultimamente volta a Deus Pai como fonte original. Em outras palavras, toda autoridade se
deriva da sua posição abaixo de Deus.
No lar, só existirá autoridade quando o marido for submisso a Cristo, e a esposa for
submissa ao marido. Se qualquer destes relacionamentos for quebrado, a autoridade do lar
será desfeita. Se o marido não estiver em submissão a Cristo, ele não terá a autoridade
devida. Se a esposa não estiver em submissão ao marido, ela não terá a autoridade
necessária.
O centurião romano veio a Jesus a favor do seu servo doente em Lucas 7. Nas suas
palavras a Jesus ele resumiu o segredo da autoridade. Ele disse: “Pois também eu sou
homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele
vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.”
A maioria das pessoas não teria se expressado desta maneira. Muitos falariam: “Eu
tenho autoridade”. O centurião foi bem mais sábio e humilde. Ele não disse: “Eu tenho
autoridade”; ele disse: “Eu estou sujeito à autoridade”. Por ele estar no seu lugar certo na
cadeia de autoridade do exército romano, ele se tornava o representante legal do imperador.
Quando ele estava no seu devido lugar na cadeia, qualquer pessoa que o resistisse, estava
na verdade se opondo ao próprio imperador. A sua autoridade se derivava da sua colocação
certa numa cadeia. Ao sujeitar-se àqueles que estavam acima dele, ele tinha direito de
exercer autoridade sobre aqueles que estavam abaixo dele.
Ele reconhecia em Jesus uma situação paralela no mundo espiritual. Ele disse: “Eu
também sou homem sujeito à autoridade”. O que ele tinha no campo militar, Jesus tinha no
mundo espiritual. Jesus estava debaixo da chefia do Pai. Estando debaixo da autoridade do

Pai, Jesus trazia a autoridade do próprio Deus consigo. Tudo que Jesus fazia e dizia era tão
eficaz como se o próprio Pai estivesse o fazendo e dizendo.
Quando o marido está em submissão a Cristo, ele possui a própria autoridade de
Cristo. Tudo que aquele marido faz e diz é tão eficaz como se o próprio Cristo estivesse o
fazendo e dizendo. Quando a esposa está em submissão ao marido, ela tem toda a
autoridade do marido, que é a autoridade de Cristo, que é a autoridade de Deus Pai.
Porém, se a cadeia for quebrada em algum ponto, a autoridade é também anulada. É
exatamente isto que tem acontecido na maioria das famílias hoje. Não há autoridade na
família, porque em algum ponto alguém não está mantendo um relacionamento certo. Na
maioria dos lares, o marido não está sujeito a Cristo, e nem a esposa ao seu marido. O

resultado é uma quebra de autoridade, anarquia, desordem e rebelião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.
João 4:14

E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.
Apocalipse 22:17
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

whos.amung.us